Até que a poesia nos repare.
Eu me chamo Antônio. (via enterneci)
Esqueça tudo e me beije.
Charlie Brown Jr. (via repreendido)
Eu não preciso chorar para mostrar que estou triste. Nem gritar para dizer que sinto dor. Muito menos sorrir para Deus e o mundo para provar que sou feliz. Não preciso aparentar para ser, demonstrar para estar. Meu mundo acontece aqui dentro. E ele não é menor ou maior que o seu: é simplesmente o meu. Ele é meu com todas as letras, ele é meu em cada palavra, com todos os silêncios, com todos os incêndios. Eu ouvi meu choro, eu escutei meu grito, eu senti minha dor e eu gargalhei em paz sem precisar invadir o seu mundo com coisas tão minhas, com coisas tão lindas, com coisas tão findas que se repetem infinitamente: aqui dentro.
Eu me chamo Antônio.  (via auroriar)
É lindo quando você sorri pra alguém e esse alguém retribui o sorriso com a mesma intensidade.
Marcello Henrique. (via sou-inseguro)
A gente não se apaixona por quem vive reclamando e amassando jornais contra a parede. A gente se apaixona por esses tipinhos banais que vivem rindo. E a gente se pergunta: o que é que ele tem que brilha tanto? Que é que ele tem que quando chega ofusca todo o resto?
Tati Bernardi.  (via alentador)
To hear the phrase “our only hope” always makes one anxious, because it means that if the only hope doesn’t work, there is nothing left.
Lemony SnicketThe Blank Book (via feellng)
Eu sei que você odeia sentimentalismo, mas eu te amo. Eu sei que você odeia quando eu fico dizendo as bobagens que estão aqui dentro, mas eu te amo. Eu sei que eu odeio quando começo a falar demais, mas eu te amo. Eu sei que uma parte de mim odeia te amar, mas eu te amo. Eu te amo apesar de tudo que tenta me impedir disso.
João Pedro Bueno, Sabedorias.  (via cuidei)